Avançar para o conteúdo principal

Dieta Mediterrânica vs Dieta Hipolipídica na prevenção da diabetes

O consumo de uma dieta Mediterrânica, rica em legumes, fruta e frutos oleaginosos, azeite e leguminosas é mais eficaz no controlo da diabetes do que uma dieta hipolipídica, sugere um novo estudo.
Para além da melhoria do controlo glicémico, assim como dos factores de risco coronários, o estudo revelou que uma dieta do tipo mediterrânico atrasa também a necessidade de terapêutica hipoglicemiante em pacientes com diabetes tipo 2 e excesso de peso.
“Talvez mais importante ainda, os resultados reforçam a mensagem de que os benefícios de intervenções no estilo de vida não devem ser menosprezados, apesar do estilo terapêutico intensivo incentivado pela actual literatura médica”, afirmaram os investigadores da Second University of Naples.
Estima-se que cerca de 19 milhões de pessoas sejam afectadas pela diabetes na UE dos 25, o que equivale a 4% da população total, e que este número aumente para 26 milhões em 2030.
De acordo com os resultados do estudo, os participantes com uma dieta do estilo mediterrânico perderam mais peso e revelaram uma melhoria mais significativa no controlo glicémico e medidas de risco coronário do que os que praticaram uma dieta hipolipídica.
A dieta mediterrânica, rica em cereais, vinho, fruta, frutos oleaginosos, leguminosas e cereais integrais, peixe e azeite e pobre em lacticínios, carne e gorduras, tem sido associada a maior esperança de vida, menor taxa de doença cardíaca e protecção contra alguns tipos de cancro. Os seus principais componentes nutricionais incluem beta-caroteno, vitamina C, tocoferóis, polifenóis e minerais essenciais.
Os investigadores recrutaram 215 pessoas com excesso de peso recém diagnosticadas com diabetes tipo 2 e dividiram-nas para consumir uma dieta do estilo mediterrânico, caracterizada por menos de metade das calorias diárias totais obtidas por hidratos de carbono ou uma dieta hipolipídica, caracterizada por menos de 30% das calorias totais obtidas por gorduras.
Após 4 anos de estudo, verificou-se que 44% dos indivíduos no grupo mediterrânico necessitaram de antidiabéticos orais, comparativamente a 70% dos indivíduos do grupo hipolipídico.
Embora ambas as dietas tenham sido associadas a perda de peso, o grupo mediterrânico foi associado a uma perda superior em 2kg, assim como melhorias mais significativas no IMC.
Fonte: Annals of Internal Medicine 2009; 151: 306-314.
          APD

Comentários