Avançar para o conteúdo principal

Obesidade infantil pode explicar taxa crescente de derrames entre jovens adultos


Crianças obesas apresentam níveis muito elevados de indicadores inflamatórios
Um estudo publicado na revista "Pediatrics" revela que as crianças que já são obesas aos três anos de idade podem apresentar sintomas semelhantes àqueles que são associados às doenças cardíacas em adultos.
A investigação foi realizada por especialistas da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos da América, que avaliaram 16 mil pessoas com idades compreendidas entre um e 17 anos de idade. Os resultados surpreenderam os cientistas, que descobriram níveis muito elevados de proteína C reactiva (PCR), indicador de um processo inflamatório.
“Isso é, definitivamente, uma surpresa para nós”, destacou a investigadora Eliana M. Perrin, acrescentando que o facto de terem verificado estes índices em crianças é motivo de grande preocupação.
Os resultados indicaram que 70 por cento dos participantes apresentavam peso saudável. Contudo, 15 por cento tinham excesso de peso, 11 por cento eram obesos, e 3,5 por cento estavam muito obesos.
Das crianças com idades entre três e cinco anos que estavam muito obesas, 42 por cento tinham elevados níveis de PCR, contra 17 por cento daqueles que tinham peso normal. Já nas crianças mais velhas a percentagem era ainda maior, com 83 por cento dos muito obesos na faixa etária de 15 a 17 anos a apresentarem níveis muito elevados do indicador inflamatório.
Apesar destes resultados, os investigadores destacam que o impacto completo desta descoberta ainda não está totalmente claro, nomeadamente no que respeita ao risco de enfartes ou derrames. Contudo, acreditam que a obesidade infantil, juntamente com os altos níveis de inflamações, pode ser responsável pela crescente taxa de derrames entre jovens adultos e pessoas de meia-idade.

Fonte: Ciencias Hoje