Avançar para o conteúdo principal

Avaliação e recomendações nutricionais específicas para a gestante e puérpera gemelar

Essa revisão da literatura é esclarecedora na questão da avaliação e recomendações nutricionais específicas para a gestante e puérpuera gemelar. Posto aqui o resumo e o link.
"Objetivo: Atualizar e adequar os conhecimentos nutricionais sobre a gestante e puérpera gemelar para favorecer o cuidado prestado a esta clientela, a fim de melhorar sua sobrevida com qualidade, assim como, avaliar a conduta usada na Instituição e hospitais de referência, frente os conhecimentos adquiridos pela literatura específica. Métodos: Esta revisão de literatura se deu por meio de pesquisa de documentos e publicações científicas em sites eletrônicos (SciELO, Pubmed, SibI, Medline, Lilacs), datadas de 1964 a 2006, e contato direto via e-mail com alguns autores. Resultados: Em estudos selecionados, as gestantes gemelares apresentavam idade > 27 anos, sendo divididas em três períodos gestacionais (< 20a; 20 a 28a e > 28a semana). O programa nutricional recomenda: ingestão de 3.000 a 4.000 cals/dia de acordo com o índice de massa corpórea (IMC) da gestante, distribuídas em: proteínas (20%), carboidratos (40%) e gorduras (40%); além da suplementação de 3 g de cálcio, 1,2 g de magnésio e 45 mg de zinco, com a prescrição de dois comprimidos de multivitamínico/dia após a 20a semana. A alimentação deve ser composta de três refeições diárias e três lanches. Os poucos estudos encontrados sobre puérperas recomendam o acréscimo de 500 a 600 calorias/dia por criança, para garantir produção de volume de leite adequado à demanda. Discussão: Pesquisas demonstraram que o seguimento deste programa propicia maior tempo gestacional e peso dos recém-nascidos; redução dos riscos de complicações pré e pós-parto para mães e filhos. O adequado ganho de peso durante a gestação beneficia a mulher, os bebês e possibilita esta a amamentar e produzir leite de acordo com a demanda. Existem diferenças entre a gestante gemelar e de gestação única quanto ao ganho de peso semanal, total, recomendações de macro e micronutrientes, quantidade de porções e classificação do estado nutricional segundo IMC. Conclusões: Orientação nutricional, adequação da dieta e acompanhamento gestacional melhoram ganho ponderal dos recém-nascidos, prolongam o período gestacional, diminuem os riscos de complicações pré e pós-parto para mães e filhos e favorecem aleitamento materno."

Leia o artigo na íntegra aqui