Avançar para o conteúdo principal

Obstipação


O que é a obstipação?

A obstipação é uma patologia que se manifesta pela diminuição da frequência da defecação caracterizada pela passagem de fezes secas e duras.
Com base na duração da sintomatologia, a obstipação classifica-se como crónica (quando o ritmo evacuatório se mantém constante há pelo menos 2 anos) ou aguda (quando ocorre pontualmente).
O padrão do trânsito gastrointestinal é variável. Não são usuais menos de 2 dejecções por semana ou mais de 3 por dia.
Sintomas associados
• Enjoo e náuseas
• Desconforto e distensão abdominal
• Eventual aparecimento de sangue não misturado com as fezes

Principais causas.

1. Alterações da motilidade:
• Maus hábitos alimentares (ingestão reduzida de legumes, frutas, fluidos e fibras e/ou ingestão excessiva de alimentos que endurecem as fezes como o queijo e o chocolate, por exemplo).
• Inactividade física
• Abuso de laxantes
• Mudança de ambiente, viagens, etc.
• Gravidez
• Administração prolongada de medicamentos obstipantes: analgésicos opiáceos; antitússicos; antiácidos com alumínio ou cálcio; antihipertensores, entre muitos outros.

2. Obstrução mecânica
• Tumor, hemorróidas, diverticulos

3. Disfunção neurológica e/ou psiquiátricas
• Lesões medulares, esclerose múltipla

4. Perturbações psicossociais
• Depressão, ansiedade e stress
Situações em que deve consultar o médico
• Obstipação causada por medicamentos
• Quando a obstipação não cede com o uso de laxantes
• Quando há presença de hemorragias, cólicas abdominais e vómitos
• Quando há presença de sangue misturado nas fezes
• Quando a obstipação permanece por mais de 2 semanas

Tratamento
O tratamento deve iniciar-se com medidas nutricionais, como por exemplo, aumentar a ingestão de fibras (farelo, frutas, vegetais verdes, cereais, etc) e de líquidos e  pratica de exercício físico. Um das medidas mais importantes a adoptar é a criação de um hábito de defecação, ou seja, adoptar horários diários para a evacuação.
Se estas medidas não forem suficientes deverá recorrer-se ao apoio de um nutrcionista que irá elaborar um plano alimentar individualizado com a introdução correctas dos diversos alimentos laxativos e suas devidas quantidades. Só em casos de extrema necessidade deverá recorre-se ao uso de  laxantes.

Abuso de laxantes
A obstipação é uma queixa comum, principalmente nos idosos, ocorrendo com maior incidência no sexo feminino. Grande parte dos casos devem-se ao uso abusivo de laxantes.O uso abusivo ou inadequado de laxantes induz a obstipação por tornar o intestino “preguiçoso”, ou seja, fica dependente da presença de laxantes para funcionar. Esta situação torna-se num ciclo vicioso. Por isso a utilização de laxantes deve ser sempre uma medida temporária.

Adaptação da Fonte