Avançar para o conteúdo principal

Celulite "Lipodistrofia"

Lipodistrofia é nada mais do que o nome científico da celulite, que por se tratar de uma inflamação no tecido adiposo subcutâneo recebe este nome técnico.
A Lipodistrofia pode ser considerada uma alteração do tecido adiposo que retém líquido e toxinas provenientes do metabolismo, promovendo uma alteração circulatória do local atingido.
A Lipodisdrofia pode ser caracterizada por uma síndrome clínica que promove uma inflamação do tecido subcutâneo dificultando a oxigenação dos tecidos anexos. Esta inflamação tem múltiplas causas e quando tratada em sua fase inicial é quase que totalmente reversível, porém, quando a extensão da celulite já é avançada já não se pode se falar em cura plena, mas apenas melhora e controle dos sintomas.
Se for tratada já nas suas fases iniciais as técnicas terapêuticas, especialmente a massagem manual, trazem uma possibilidade de reversão da celulite em quase toda a sua extensão.
Contudo, se o problema já comprometer estruturas mais profundas e atingir a fase de fibrose, as soluções serão somente paliativas com um agravamento do problema.
Quanto aos aspectos preventivos sabe-se que uma alimentação adequada, práticas de atividades físicas regulares e cuidados com uso de roupas muito apertadas que possam prejudicar a circulação, são medidas que ajudam.
Ainda não está devidamente comprovada as causas primárias da celulite, existindo, também, uma predisposição genética.
A massagem manual têm a vantagem de produzir uma maior estimulação das circulação periférica, sem riscos colaterais e contra-indicação.
A prevenção para esse problema está, em grande parte, no seu prato. Existem alimentos que reparam, hidratam e revitalizam a pele ajudando com isso a melhorar a celulite. Por outro lado, carnes vermelhas gordas, leite e iogurte gordos, açúcar branco refinado, doces e frituras aumentam a gordura do corpo e pioram o aspecto da inflamação do tecido adiposo.
1. Leticina: reforça a parede das células, impedindo que elas percam nutrientes e água.
Onde encontrar: amendoim, batata, couve-flor, espinafre, laranja, ovo e tomate.
2. Glicosamina: funciona como um reparador da pele e dá firmeza aos tecidos que formam a estrutura da pele.
Onde encontrar: camarão com casca e suplementos de glicosamina ou glucosamina.
3. Ácidos graxos essenciais: atraem a água e a retém dentro das células, garantindo hidratação.
Onde encontrar: azeite de oliva, óleo de linhaça, sementes (linhaça, gergelim e girassol), castanhas e peixes.
4. Aminoácidos: estimulam a produção de colágeno e elastina, que dão firmeza à pele.
Onde encontrar: carne magra, frango, peixe, queijo magro, ovo, leite e nozes.
5. Antioxidantes: impedem que os radicais livres fragilizem os tecidos, abrindo caminho para a celulite.
Onde encontrar: cebola, cenoura, chá verde, frutas cítricas, frutas vermelhas e vinho tinto.
6. Antiinflamatórios: amenizam o efeito de processos inflamatórios que enfraquecem as defesas das células, tornando-as vítimas fáceis dos radicais livres.
Onde encontrar: alface, azeite de oliva, brócolis, espinafre, ervilha fresca ou seca, feijão-branco, peixe e nozes.
7. Vitaminas B e minerais: ajudam as células da pele a absorver melhor os nutrientes.
Onde encontrar: abacate, aveia, banana, beterraba, brócolis, cogumelo, laranja, melancia, leite e queijo com baixo teor de gordura.
Recomenda-se, habitualmente, às pessoas com celulite ou que desejam preveni-la, que façam uma dieta desintoxicante, e inclua muitas frutas frescas, verduras e legumes e evite tomar chá preto, mate, café e álcool.
Fontes: Saúde na Internet
Abril-Saúde

Comentários