Avançar para o conteúdo principal

A Febre do Emagrecer Rápido - Caralluma

De tempos em tempo surge no Brasil (assim como em outros países) um produto, erva ou similares com o objetivo da perda de peso rápida e eficaz. Foi a febre da "ração humana", agora é a vez da Caralluma, um fitoterápico originario da Índia usado para a supressão do apetite.
Estes produtos comercializados com o objetivo milagroso do emagrecimento em tempo "record" trabalham encima da necessidade e da impaciência dos indivíduos em relação a questão da perda de peso. Todos querem perder os quilos a mais, porém sem muito esforço e sem precisar modificar os seus hábitos de vida erróneos, principalmente, os alimentares.
A Caralluma Fimbriata, consiste em uma grande planta suculenta encontrada na selva da África, nas Ilhas Canárias, Índia, Arábia, Europa e Afeganistão. Estas plantas podem crescer ao ar livre, nas partes mais mornas e mais secas do norte da América, ou em estufas e jardins de janela.
É usada para suprimir a fome e o apetite e aumentar a resistência. Em outros momentos, também foi considerada como "comida da escassez", utilizada durante períodos de escassez para suprimir o apetite.
Caralluma Fimbriata é essencialmente um legume de uso diário na Índia tribal. É utilizada na alimentação em diversas formas. Cozida como um legume regular com temperos e sal, também é utilizada em conservas como molhos picantes e pepinos, além de ser comida até mesmo crua. Tribos indígenas mastigam pedaços grossos de Caralluma Fimbriata para reduzir a fome em um dia de caça. Este suculento legume é usado entre as classes de trabalhores no sul da Índia para suprimir o apetite e aumentar a resistência. 

A Anvisa  (Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil) suspendeu o uso da Caralluma por não haver eficácia comprovada no uso deste medicamento.
Como Nutricionista aconselho: antes do uso de qualquer produto, seja ele fitoterápico ou não, faça uma consulta com especialista em saúde/nutrição, pois existem problemas de saúde que podem ser desencadeados ou agravados com o uso indiscriminado de certas substâncias ditas inofensivas para a saúde.
E, acima de tudo, reveja os seus hábitos e estilo de vida. Eles sim, determinam, na maior parte das vezes, onde vai está o ponteiro de sua balança.
Fontes: Manipulart
              Portal Anvisa