Avançar para o conteúdo principal

Óleo de Cártamo - Benefícios e Controvérsias

O Cártamo (Carthamus tinctorius) é uma planta medicinal da família Asteraceae, também conhecida como Açafrão-dos-Tintureiros.
Usos Tradicionais: amenorréia, ataque apoplético, celulite, coágulos no sangue, colesterol alto, contusões, deslocamentos, febre, histeria, inflamações, perda de peso, resfriados, sarampo.
Propriedades Medicinais: analgésico, anticoagulante, antiinflamatório, antioxidante, carminativo, diaforético, diurético, emenagogo, imunoestimulante, laxante.
Valor nutricional: O Cártamo é composto de pigmento (cartamona), lignanas, polissacarídeo, óleo essencial (ácido araquico, ácido oléico, ácido linolênico, ácido palmítico, ácido esteárico).
A proporção de ácidos graxos de 100g de óleo de cártamo é:
Monoinsaturados ácido graxo oléico. 4,8 g
Palmitoléico ácidos graxos monoinsaturados. vestígios
Mirístico ácidos graxos saturados. vestígios
Palmítico ácidos graxos saturados. 2,57 g
Saturados esteárico ácido graxo. 0,92 g
Poliinsaturados linoléico ácido graxo. 28,08 g
Poliinsaturados linolênico ácido graxo. 0,11 g
O percentual para a quantidade de ácidos graxos totais de cada classe de óleo de cártamo:
 ácidos graxos saturados (SFA). 3,68 g
ácidos graxos monoinsaturados (AGM). 4,848 g
ácidos graxos poliinsaturados (AGPI). 28,223 g
O óleo de Cártamo,  extraído das sementes, contém proteínas, minerais, vitaminas, especialmente a vitamina E, conhecida como antioxidante natural, importante no combate aos radicais livres, que atacam diretamente às células do corpo.
Benefícios 
O óleo de Cártamo possui várias propriedades e benefícios, dentre eles se destacam a aceleração na perda de gordura (principalmente na região abdominal), regularização do nível de colesterol LDL e triglicerídeos, aumento da energia e imunidade, normalização do perfil metabólico entre lipídeos e insulina, proteção antioxidante, auxílio ao organismo na produção de substâncias antiinflamatórias, além de prevenir o aparecimento de celulites e ser benéfico para a pele.
Um estudo recente realizado pela Ohio State University descobriu que o óleo de Cártamo pode dissolver a gordura da barriga. O estudo também mostrou que duas colheres de sopa de óleo de Cártamo (ou o equivalente em suplementos) tomado todos os dias pode ajudar as pessoas (principalmente mulheres) a perder a gordura da barriga, bem como perder massa gorda no geral. Os pesquisadores descobriram que o Cártamo aumenta a produção de um hormônio chamado adiponectina. Esse hormônio avisa ao corpo para usar a gordura como fonte primária de energia. Por razões que os cientistas e os pesquisadores não entendem ainda, no caso das mulheres que tomam Óleo de Cártamo, a gordura extra que se queima parece ser mais orientada para o meio do corpo. A adiponectina também ajuda o corpo a produzir menos insulina, substância que armazena carboidratos extras.
O óleo de cártamo pode ser usado na culinária ou simplesmente pode ser tomado puro. No entanto, também existem disponiveis no mercado como suplementos.
O Cártamo é uma das mais ricas fontes de ácido linoléico. O CLA (ácido linoléico conjugado) e um diaforético (provoca a transpiração) moderado. Ajuda na circulação do sangue e alivia a dor. Usado como unguento para contusões, deslocamentos e inflamações. 
 As pétalas são comestíveis. As flores são usadas para colorir os alimentos (pães, margarina e bebidas), e como um substituto mais barato para o Açafrão.  Os brotos jovens são comestíveis quando cozido como um legume. O óleo e é usado na arte culinária em saladas e molhos.
As flores e sementes devem ser evitadas durante gravidez.  A planta é nativa do Irã e da Índia. 
Controvérsias dos efeitos benéficos na perda de peso
Um suplemento, totalmente, natural que auxilia na perda de gordura, diminui o apetite e combate o colesterol ruim. Com essas propriedades, o óleo de cártamo, vem ganhando adeptas entre que busca uma silhueta mais esbelta.  
A realidade, porém, é que ainda não há estudos ou pesquisas suficientes que comprovem sua capacidade emagrecedora. 
A estratégia de marketing adotada por empresas que comercializam o produto vai contra a determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), onde o óleo de cártamo tem registro obrigatório e é enquadrado na categoria “Novos Alimentos ou Ingredientes”. Segundo o órgão, o produto não pode ser rotulado de alimento funcional ou emagrecedor. 
A Anvisa determinou a suspensão de todas as propagandas que atribuíssem funções terapêuticas a suplemento feito à base de óleo de cártamo. A medida está relacionada às peças que conferem ao produto resultados como redução de peso corporal, melhora da definição corporal e diminuição da absorção de gorduras.
Mesmo com a norma do governo, anúncios continuam, de maneira indireta, fazendo promessas de perda de medidas. 
O CLA é substância proibida na área de alimentos da Anvisa por não ser comprovadamente seguro e eficaz. No ano passado, o órgão interditou quatro lotes importados de óleo de cártamo porque se detectou neles a presença de CLA. Para obter registro na Anvisa, as empresas fabricantes do óleo devem apresentar laudo analítico que informe o teor de CLA, comprovando assim que a substância não foi adicionada durante o processamento do óleo. 
Suplemento no laboratório
Os efeitos do CLA sobre a gordura, os músculos e o sangue foram alvo de um estudo coordenado pela professora Jocelem Mastrodi Salgado, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (USP). A análise foi realizada com 64 camundongos, divididos em dois grupos — um de praticantes de exercícios e outro de sedentários. Os resultados mostraram que a suplementação de CLA aliada à prática de atividades físicas auxiliou na redução de gordura corporal em ambos os sexos e favoreceu o aumento da massa muscular apenas em fêmeas que praticavam exercícios. 
A Anvisa determinou a suspensão dos anúncios que atribuam ao óleo de cártamo poder de emagrecimento.
Fonte: Plantas medicinais 
Estudo Ohio State University 
Anvisa
Foto Internet
Obs.: Informações e orientações gerais. Para um plano alimentar personalizado procure um especialista em Nutrição/Saúde.

Comentários