Avançar para o conteúdo principal

Comer Devagar Ajuda a Emagrecer

Devemos lembrar sempre dos bons hábitos alimentares e comer devagar é um deles. Além de facilitar a digestão agora ficou comprovado, cientificamente, que ajuda, também no processo de perda de peso.
"A velocidade com que se ingere os alimentos tem influência no peso corporal e comer devagar tem resultados equiparáveis aos de uma cirurgia bariátrica, dá conta um estudo conduzido por uma investigadora portuguesa.
O estudo, que ganhou um prémio internacional, contou com a participação de 500 jovens obesos que estavam a ser acompanhados no Hospital Pediátrico de Bristol, em Inglaterra, com o objetivo de estudar as hormonas que estão associadas aos hábitos alimentares, a grelina e o peptídeo tirosina-tirosina.
Os participantes foram divididos em dois grupos distintos. A um dos grupos foi dada uma balança computorizada na qual colocavam o prato com os alimentos do almoço e do jantar. Esta balança media a velocidade a que os participantes comiam, sendo que o ritmo pré-formatado era de cerca de 300-350 gramas em 12-15 minutos. Caso a velocidade fosse superior, o computador dizia para comerem mais devagar.
Ao segundo grupo, o controlo, foi apenas fornecido aconselhamento dietético e físico. Após doze meses, os investigadores mediram o índice de massa corporal (IMC) dos participantes. Verificaram que os indivíduos a quem tinha sido fornecida a balança apresentavam uma diminuição do índice de massa corporal significativamente superior à do grupo de controlo. «Isto deixou-nos muito contentes porque era uma forma barata e acessível de todos diminuírem o peso», referiu a investigadora.
Júlia Galhardo revelou que é do senso comum que comer devagar faz com que se fique saciado mais depressa e não se ganhe peso, mas que ninguém tinha antes estudado o que acontecia a nível hormonal. De acordo com a investigadora, quando os jovens comiam de forma lenta, as hormonas que regulam a fome e a saciedade, e que tinham estado totalmente alteradas pelos maus hábitos alimentares, ficaram novamente reguladas, regularizando também a comunicação entre o sistema digestivo e o cérebro.
Segundo Júlia Galhardo, nunca se deve perder menos de trinta minutos a comer, tendo em conta que cada uma das refeições deve incluir uma sopa de legumes e um prato principal. A investigadora espera que esta descoberta seja divulgada nos centros de saúde, campanhas de esclarecimento ou mesmo nos estabelecimentos de ensino, lembrando que este é um caso de saúde pública.
Fonte: Pais e Filhos