Avançar para o conteúdo principal

Compreender Estudos Científicos

"Coma ovos e faça exercício para viver mais tempo!"
Obviamente, este "título" é fictício, mas chama a atenção, não é? As notícias sobre novas descobertas na investigação da área da alimentação e da saúde parecem ter grande projeção mediática, já que as questões da saúde e da alimentação são do interesse da maioria das pessoas. Jornalistas, académicos e profissionais de saúde: todos querem as informações mais recentes – assim como os consumidores. Um único estudo e os relatórios associados são suficientes para levar muitas pessoas a procurar o mais recente alimento ou suplemento que promete uma boa saúde. 
Frustradas e confundidas pela imensa quantidade de informação acerca de alimentos e saúde publicadas atualmente, muitas pessoas procuram certezas simples que as possam ajudar a proteger a saúde através da dieta. No entanto, os estudos individuais raramente proporcionam estas certezas, apesar do destaque mediático que recebem. 
Os meios de comunicação, os profissionais de saúde e os educadores são os principais divulgadores da informação atual sobre saúde e alimentação. Têm uma forte influência sobre os conteúdos que os consumidores ouvem, leem e acreditam acerca da alimentação e saúde. Consequentemente, têm a responsabilidade de fornecer factos com exatidão, de os apresentar segundo uma perspetiva equilibrada e de ajudar as pessoas a entender como é que as descobertas dos estudos podem afetar o seu comportamento e as decisões no âmbito da saúde. Uma divulgação responsável pelos meios de comunicação significa que os novos estudos devem ser analisados de forma crítica antes de serem tornados públicos. Os artigos de notícias e os resumos de estudos, apesar de úteis na identificação dos trabalhos de investigação interessantes, não fornecem todas as informações necessárias à comunicação pública dos resultados com exatidão.
Felizmente, com a prática o processo de análise crítica da investigação científica torna-se cada vez mais fácil e rápido. A análise EUFIC Review foi concebida para ajudar os órgãos de comunicação, os profissionais da área da saúde e os educadores a compreenderem como interpretar e avaliar os estudos científicos relacionados com a alimentação e a saúde. Apresenta uma descrição geral das informações essenciais a identificar, questões a colocar e outras considerações importantes.
Leia mais...
Fonte: EUFIC (Conselho Europeu de Informação sobre a Alimentação)

Comentários

  1. Obrigado pela partilha - bom texto.
    Na verdade há várias forças concorrentes que fazem com que a ciência ou seja ignorada ou mal usada:
    Os estudo científicos são tecnicamente complexos e difíceis de avaliar mesmo por pessoas que trabalhem na área da saúde. Publicar é muito diferente de trabalhar com um doente, e habitualmente quem muito publica pouco trabalha com doentes e vice-versa. Aliás, publicar é uma profissão per se, e bastante lucrativa, pelo que há muita pressão para se ter resultado e publicar. Pode-se dizer milhares de vezes o que vem neste texto e mesmo assim as pessoas nunca vão ser capazes de avaliar correctamente os estudos - isso é algo que implica um trabalho diário constante com muita auditoria. Por esse motivo, há entidades que farão supostamente esse trabalho pelos clínicos, e assim sendo os clínicos já não lêem a fonte primária de informação mas um fonte supostamente de confiança que fez o trabalho árduo de valorização do estudo.
    Por outro lado, a indústria tem todo o interesse em usar a ciência para vender os seus produtos. Como a indústria financia os media, não é difícil somar 2 mais 2. Não há nenhum mecanismo de controlo sobre o que vem nas revistas, jornais ou passa na televisão.

    Para terminar, deixo a ideia que qualquer pessoa de ciência sabe: não há medicamentos que tratem por si doenças que são problemas multifactoriais e de estilo de vida. É preciso querer ser saudável - é algo que exige muita dedicação e carinho - como tudo o que é importante na vida.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário