Avançar para o conteúdo principal

Presença da culinária japonesa em Portugal

Refere a História que os portugueses foram os primeiros europeus a chegarem à Ilha de Tanegashima, no século XVI, estabelecendo, a parti daí, relações mútuas de intercâmbio e marcando o primeiro encontro histórico do Japão com o mundo ocidental. 
De acordo com Anibal Rodrigues¹ “isto pode ajudar a compreender como é que néctares e iguarias de origens geográficas tão distantes - vinhos portugueses e culinária japonesa – se casam, primorosamente, tão bem”. Terras tão distantes geograficamente e ao mesmo tempo tão próximas no que aos comeres e beberes diz respeito. Nestes aspectos Portugal e Japão são como países vizinhos.¹ E isso se pode prova nos diversos festivais de gastronomia japonesa ocorridos em Portugal. 
O intercâmbio entre os dois países deixou vestígios para ambos. Na área da culinária, alguns novos pratos foram levados de Portugal para o Japão. Segundo alguns historiadores, um bolo japonês chamado “kasutera”, foi desenvolvido a partir do pão-de-ló português. O “kompeitoo” também tem, nitidamente a sua origem portuguesa proveniente do “confeito”. A receita da “Tempura”, prato japonês conhecido mundialmente, foi introduzida no Japão por missionários portugueses na cidade de Nagasaki. A hipótese mais aceita da origem da palavra tempura é a que se baseia no fato dos Jesuítas não comerem carne vermelha durante a Quaresma, em latim, “ad tempora quadrigesimae”, uma época antes da Páscoa em que é aconselhado comer pratos de peixe, legumes e frutos do mar, evitando assim o consumo de carne. Existe ainda hoje um prato em Portugal semelhante à tempura, os peixinhos da horta, que consiste em pedaços de feijão-verde fritos envoltos em polme mais espesso que o da tempura. Este prato pode ser elaborado usando tipos diferentes de legumes, como a abóbora, por exemplo. 
Por detrás do sashimi e do saqué, há toda uma tradição por desvendar
Dados da Associação de Amizade Portugal Japão indicam que em todo o mundo existem cerca de 25 mil restaurantes japoneses, dos quais 2000 na Europa e cerca de 60 em Portugal. 
Essa expansão universal dos restaurantes não é novidade, mas a verdade é que nem todos, realmente, são de comida japonesa. 
Para se saber distinguir um verdadeiro restaurante japonês é bom conhecer os princípios ou pilares em que se assenta a tradição da gastronomia nipónica: 
Saúde em primeiro lugar – “come-se para manter a saúde, não para encher o estômago”. Em função disso, os japoneses estabeleceram como devem ser confeccionados e combinados os alimentos entre si. Por exemplo, o sashimi é sempre acompanhado por wasabi e/ou gengibre, que são antibacterianos e desinfectantes. A tempura, um prato pesado para o estômago é acompanhada por um molho de rábano que facilita a digestão e é um protetor gástrico. 
Comer com os sentidos – “antes de comer, temos que olhar, cheia e só depois saborear.” Deste princípio origina todo o cuidado com a apresentação dos pratos nos bons restaurantes japoneses. 
Temperar com moderação - “os temperos não devem retirar o sabor autêntico dos alimentos”. O sal e outros condimentos são usados em quantidades controladas.
Ter frescura e autenticidade - “requisito essencial da boa gastronomia japonesa”. Os genuínos sabores nipónicos são assegurados pela frescura e autenticidade de seus produtos.
Esses são os distintivos que diferenciam um autêntico restaurante japonês tradicional. Um detalhe que não deve ser esquecido é que a delicadeza e simplicidade da comida japonesa, para além de todos os princípios e cuidados óbvios com a qualidade, rendem os seus bons frutos quando se chega ao final de uma refeição composta por vários pratos com uma sensação de leveza e bem-estar
Silvelita Metelo
Nutricionista
Sobre a autora
Fontes de pesquisa:
¹ Aníbal Rodrigues- Jornalista (http://lazer.publico.pt/opiniao/308264_comida-japonesa-e-vinho-portugues-um-casamento-feliz). 
Associação de Amizade Portugal Japão (http://www.aapj.pt/).
Câmara de Comércio e Indústria Luso Japonesa (http://ccilj.pt/ccilj/). 
Gastronomia japonesa (http://saude.sapo.pt/peso-nutricao/nutricao/artigos-gerais/gastronomia-japonesa.html)