Avançar para o conteúdo principal

Stress e ingestão alimentar

Em resposta ao stress, algumas pessoas consomem mais alimentos, enquanto outras diminuem a ingestão alimentar. Novas formas de abordar o comportamento alimentar associado ao stress podem ajudar os indivíduos a controlar o peso corporal e a diminuir o stress inerente.
Stress agudo X stress crónico
Quando temos a percepção de uma ameaça imediata (stress agudo), o cérebro envia sinal a um número de sistemas, incluindo o sistema hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA) e activa as hormonas do stress. Esta activação desencadeia uma cascata de eventos que preparam o organismo para acção. Por exemplo, a glicose é mobilizada para servir de combustível aos músculos e cérebro, os sentidos ficam mais apurados, o batimento cardíaco aumenta e a respiração acelera. Isto é conhecido como a resposta “lutar ou fugir” – que evoluiu como um mecanismo de sobrevivência, permitindo-nos reagir rapidamente a eventos que ameaçam a vida.
Numa resposta saudável ao stress, os níveis de hormonas do stress, como a adrenalina e o cortisol, aumentam para atender às exigências da situação. Uma vez ultrapassada a situação geradora de stress, os níveis das referidas hormonas diminuem. No stress crónico, verifica-se uma exposição prolongada às hormonas do stress, particularmente o cortisol e o organismo pode não retornar à homeostasia (um estado de repouso saudável). Isto pode acarretar consequências sérias para a saúde e afectar adversamente os sistemas nervoso central, imune e cardiovascular.
Continue a leitura...
Stress e comportamento alimentar

Comentários