Avançar para o conteúdo principal

Serão mesmo os hidratos de carbono vilões da perda de peso?

Estamos a ser bombardeados o tempo todo com informações a cerca da necessidade de retirar os hidratos de carbono da dieta ou alimentação para se obter a perda de peso. Os hidratos de carbono são tratados como grandes vilões do ganho de peso, da gordura em excesso, da obesidade.
Há quem afirme que a gordura natural dos alimentos não faz engordar, que a preocupação deve estar concentrada na presença dos hidratos de carbono na dieta, pois é este nutriente que faz engordar e se o individuo fizer uma dieta pobre em hidratos de carbono e rica em gorduras, perde peso imenso, mas se já fizer o contrário, pobre em gordura e rica em hidratos de carbono, ganha quilos de gordura.
Mas, afinal será isso mesmo verdade e serão mesmo os hidratos de carbono inimigos nº 1 de quem deseja emagrecer?
Vamos perceber melhor os hidratos de carbono e qual a sua função no organismo para depois compreendermos se a afirmação a cerca desse macronutriente é verdadeira ou não.
Os hidratos de carbono (HC), como a maioria sabem, fornecem a maior parte de energia necessária para a execução diária das nossas atividades, possui 4 kcal por 1 grama de peso e suas fontes alimentares principais são os amidos (açúcares complexos) e açúcares simples que são encontrados em diversos alimentos.
Outras funções importantes dos hidratos de carbono no organismo:
  • Exercem uma função que poupa proteínas. Se os HC da dieta forem insuficientes, o corpo converterá proteína em glicose para suprir energia, isso acontece através de um processo orgânico denominado gliconeogenese. A necessidade energética do corpo precede todas as demais necessidades.
  • A presença de HC é necessária para o metabolismo normal de gorduras. Se não houver HC suficientes, grande parte da gordura é utilizada para produzir energia e o mecanismo orgânico para controlar e oxidar gorduras fica incompleto. O que leva ao acumulo de produtos intermediários ácidos (corpos cetónico), resultando em acidose. O sódio combina-se com esses ácidos e são excretados na urina em forma de sais de sódio. Isso pode levar a perdas severas e causar o desequilíbrio do sódio.
  • A glicose tem influência específica e, portanto, é indispensável para manter a integridade do tecido nervoso, tornando-se a única fonte de energia para o cérebro. Qualquer falta de glicose ou de oxigénio para a sua oxidação pode causar danos irreversíveis no cérebro.
  • A lactose (principal açúcar do leite) permanece no intestino por mais tempo que outros dissacarídeos e assim estimula o crescimento de bactérias benéficas o que resulta numa ação laxativa.
  • Os hidratos de carbono e seus produtos derivados servem como precursores de compostos como os ácidos nucléicos, matriz do tecido conjuntivo e os galactosídeos do tecido nervoso.
  • Os alimentos com conteúdos de HC (exemplo cereais) também fornecem quantidades significativas de proteínas, minerais e vitamina B ( Kause & Mahan).
Diante da importância dos hidratos de carbono para a nossa boa nutrição e saúde, concluo que uma dieta ou plano alimentar ou reeducação alimentar nunca deve ser baseada na completa retirada desse macronutriente e nem no aumento da quantidade de gordura como forma de substitui-lo, pois isso se traduz em um desequilíbrio alimentar e outras consequências danosas para o corpo. Como vimos nas funções dos hidratos de carbono quando estes são insuficientes e a gordura (que tem 9 kcal por grama de peso) é utilizada para produzir energia ocorre acidose metabólica e acumulo de corpos cetónico no organismo.
Valorize uma alimentação equilibrada. Nem pobre em HC e rica em gordura, nem rica em HC e pobre em gordura, mas sim na quantidade controlada para atender as necessidades do seu organismo.
Procure o caminho do equilíbrio alimentar, escolha bons alimentos como fontes de hidrato de carbono, gordura e demais nutrientes fundamentais para o bem estar do seu corpo, pois quando se trata de nutrição/alimentação tudo estar interligado. Menosprezar este ou aquele nutriente pode impedir que as nossas necessidades calóricas diárias sejam satisfeitas de forma balanceada e saudável.
Para um plano alimentar individual e equilibrado procure um nutricionista. 
Fonte bibliográfica: Alimentos, nutrição e dietoterapia.  Kause & Mahan