Avançar para o conteúdo principal

Sentimentos e alimentação

Sentimentos e alimentos

O consumo de alimentos tem estreita relação com as nossas emoções, pois os nossos sentimentos podem ser modificados, também, através daquilo que colocamos em nosso prato, diariamente. 


Alguns alimentos colaboram, efetivamente, para a nossa mudança de humor, como por exemplo:


Banana- contra a ansiedade

Se estamos mais ansiosos do que o normal, ingerir uma banana ajuda a elevar os níveis de serotonina. Quando os níveis desse neurotransmissor estão baixos, falha a comunicação entre as células cerebrais. ocorrendo aumento da irritação e especialmente ansiedade. A fruta combina doses importantes de triptofano e vitamina B6. Juntas, as duas substâncias se tornam poderosíssimas na produção da serotonina.
Quanto consumir: 1 a 2 unidades por dia

Mel- pura alegria

Se estiver triste e sem motivo a causa pode ser, também,  a serotonina de menos. Nesse caso, o mel funciona como um calmante natural, pois aumenta a eficiência da serotonina no cérebro.
O mel ajuda, também, na regeneração da microflora intestinal o que torna os intestinos mais propícios para a produção de serotonina. Pois, cerca de 90% do neurotransmissor do bom humor é produzido no intestino.
Quanto consumir: 1 colher (sopa) / dia.

Abacate- amigo do sono

Dormir é tão importante para viver bem quanto comer direito e fazer exercícios. Se tem noite de insónia, coma abacate. Ele tem gordura, mas é gordura saudável. E oferece vitaminas que ajudam a conciliar o sono na almofada. A vitamina B3 equilibra as hormonas que regulam as substâncias químicas cerebrais responsáveis pelo sono. O ácido fólico funciona como uma enzima, alimentando os neurotransmissores que colaboram para um bom sono.
Quanto consumir: ½ abacate pequeno, 3x / semana.

Salmão- melhora o humor


Mau humor constante pode ser sinal de falta de ómega 3 no prato. O representante oficial dessa gordura amiga é o salmão. Mas existem outros peixes (atum, sardinha) que ajudam a melhorar o humor.

O ómega 3 melhora o ânimo porque aumenta os níveis de serotonina, dopamina e noradrenalina - substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar. 
Quanto consumir: 1 porção, 3x / semana.

Lentilha- afasta o medo

Angústia e medo podem estar relacionados ao desequilíbrio de cálcio e magnésio. Essa dupla atua no balanceamento das sensações. Além de incluir alimentos com cálcio e magnésio  na alimentação, consuma mais lentilha. Ela tem efeito ansiolítico, ou seja, tranquiliza e conforta. Isso porque é precursora da gaba, neurotransmissor que também interfere nos sentimentos.
Quanto consumir: 3 conchas pequenas / semana.

Nozes- mantém a mente concentrada

São muitos os nutrientes das nozes. Mas é a vitamina B1 a responsável por essa fruta oleaginosa melhorar a concentração, pois a B1 imita a acetilcolina, neurotransmissor envolvido em funções cerebrais relacionadas à memória.
Quanto consumir: 2 nozes, 4x / semana.

Chá verde- elimina o stress

Essa erva, a Camellia sinensis, tem fito químicos (polifenóis e catequinas) capazes de neutralizar as substâncias oxidantes presentes no organismo que, em excesso, deixam o corpo cansado, stressado e acabam desorganizando o funcionamento do organismo. O stress é capaz de desencadear a síndrome metabólica, culpada por doenças como a obesidade e a depressão.nta.
Quanto consumir: 2 a 4 chávenas (chá) / dia.

Brócolos- deixa a mente esperta

É comum algumas vezes demorarmos alguns segundos para lembrar o número do seu telefone. Este alimento é rico em ácido fólico, acelera o processamento de informação nas células do cérebro, consequentemente, melhora a memória. Porções extras desta verdura vai ajudar a a mente a lembrar de tudo rapidinho.
Quanto consumir: 1 pires / dia.

Óleo de linhaça- dribla o apetite voraz

O óleo extraído da semente de linhaça e prensado à frio é uma fonte vegetal riquíssima em gordura ómega 3, 6 e 9. Melhor: é um dos poucos alimentos com ómega numa proporção próxima do ideal, o que é imprescindível para que exerça suas funções benéficas. Uma delas é regular as hormonas que ajudam a manter o sistema nervoso saudável. Com isso, a ansiedade e a compulsão alimentar é melhor controladas.
Quanto consumir: 1 colher (sobremesa) / dia, antes das refeições principais.

Gérmen de trigo- acaba com a irritação

Assim como as nozes, o gérmen de trigo tem vitamina B1 e inositol, que reforçam a concentração. Por ter uma boa dose de vitamina B5, o gérmen é especialmente indicado como calmante, já que melhora a qualidade de impulsos nervosos, evitando nervosismo e irritabilidade.
Quanto consumir: 2 colheres (chá) / dia.

Tofu- espanta o desânimo

O queijo de soja tem o dobro de proteínas do feijão e uma boa dose de cálcio. Também é rico em magnésio (evita o enfraquecimento das enzimas que participam de produção de energia) e ferro (combate a anemia). Quando estes minerais estão em baixa no organismo, o organismo se sente fraco e sem ânimo. Mas, é a colina, substância que protege a membrana das células cerebrais, que dá ao tofu o poder de acabar com o cansaço mental.
Quanto consumir: 1 fatia média / dia.

Obs.: Se estiver a fazer dieta ou reeducação alimentar consulte antes o seu nutricionista, pois essas quantidades sugeridas são para quem não precisa perder peso. 

Fonte: Ambiente e saúde
Imagem: photl.com

Comentários