Avançar para o conteúdo principal

Informação gera conhecimento, mas, também, pode gerar confusão



Realmente, começo este texto com uma grande preocupação, pois como nutricionista tenho visto, lido e ouvido informações a cerca de diversos alimentos, a circularem, diariamente, nas redes sociais que não levam em conta a individualidade de cada um e generaliza a informação transmitida como se o que é bom para fulano é bom, também, para Sicrano. 

Na realidade em matéria de nutrição, saúde e outras mais, as coisas não se processam assim, por isso ao fazer um poster sobre alguma recomendação enfatizo que o mesmo não é uma orientação individualizada e que para quem deseja um tratamento individual deve o mesmo procurar, pessoalmente, um profissional especialista.

Ora bem o que deixa-me estarrecida ao ver alguns vídeos, texto, etc. e a facilidade com que a informação passada é generalizada, como se aquilo que a pessoa está a transmitir servisse para todos os seres humanos, independente de idade, sexo, cultura, etc. É ai, que vejo e mora o perigo. 

Numa sociedade onde tudo muda a cada segundo e as informações parecem ser voláteis, onde algo, ou melhor, um alimento é bom e nutritivo e daqui a alguns segundo ver-se alguém a dizer que esse mesmo alimento é um veneno e já não deve ser ingerido. Isso leva a uma grande confusão e stress nas pessoas que se perguntam; se esse e outros alimentos são venenos, então o que irão comer agora. Qual alimento de verdade é, completamente, saudável?

Claro que ficar informado e atualizado é algo positivo e devemos procurar fazê-lo, mas com todos os nossos sentidos bem abertos e atentos ao receber uma determinada informação, por que assim estaremos aptos para perceber o que é importante reter e absorver para a nossa vida, para a nossa melhor nutrição e saúde.

Todos os seus sentidos bem abertos e alertas. Você pode, você consegue.

Beijinhos nutritivos

Imagem original freepik