Avançar para o conteúdo principal

"Futurefood" - Couve, o bife vegetal

Vamos aumentar o consumo de couve em nossa alimentação?

A nossa couve está sendo chamada de bife vegetal pelo seu poder de nutrição. Comparada com outras hortaliças, está num patamar superior quando o nutriente é a proteína.

Hoje, defende-se muito a redução da criação de animais, e cada vez mais o número de vegetarianos aumenta, e também dos defensores de uma alimentação mais saudável, há alimentos que estão recebendo o título de “futurefood”, ou a comida do futuro. Por conta disso, as investigações científicas têm procurado descobrir quais são os vegetais que podem suprir, os alimentos de origem animal, na alimentação do ser humano de uma maneira mais completa, principalmente, em teor de proteínas.
Como resultado dessas investigações a couve já vem sendo chamada de bife verde.  Pois, além de ser totalmente capaz de suprir o organismo com as proteínas necessárias, essa hortaliças contém um arsenal de nutrientes, que são fundamentais para a manutenção da boa nutrição e saúde.


A couve é uma excelente alternativa, não só para substituir o consumo de carne (para os vegetarianos), como para que o organismo não sofra deficiência de proteínas (para aqueles que querem descansar o corpo do bife animal diário). Sendo um dos principais alimentos anti-inflamatórios no reino vegetal, é potencialmente indicada para prevenir, e até mesmo reverter doenças inflamatórias.

A couve contêm grande riqueza em fibra, ferro e proteína. Quantidade insuficiente de fibras é uma das principais causas de desordens no aparelho digestivo. Alimentos ricos em proteína animal, como a carne, possuem pouca, ou quase nenhuma fibra. Já uma porção média de couve garante 5% da ingestão diária recomendada.

Se um pedaço de carne, normalmente, o que fornece são gorduras saturadas, a couve é rica em ácidos graxos ómega 3, e, também, ómega 6. É rica em catenóide e flavonóides, que são antioxidantes.

Os defensores do desenvolvimento sustentável do planeta, e os adeptos da comida saudável e orgânica, apontam outro motivo para que a couve substitua a carne:
Couve cresce com facilidade em quase todos os tipos de clima, o cultivo é relativamente simples, seja numa horta, seja em casa. Por outro lado, para que se produza 1 quilo de carne bovina são necessários 16 quilos de grãos, 11 vezes mais a utilização de combustível fóssil, e cerca de 2.400 litros de água. 

Se apesar desta enorme diferença no custo de produção, e de todos os benefícios nutricionais, seu cérebro está achando difícil construir a imagem mental de um churrasco de couve, calma! Enquanto a realidade do planeta permitir que as “futurefood” não sejam obrigação, basta apenas incrementar o consumo deste vegetal, pelo menos para primar pela saúde.

Continuação de uma boa semana
Beijinhos nutritivos

Imagem: Google imagens

Comentários