Avançar para o conteúdo principal

Flores comestíveis-Capuchinha

Vamos, conhecer melhor essa adorável florzinha, chamada Capuchinha?
Com o inicio da Primavera, a natureza nos brinda com seu colorido e beleza, principalmente, das flores que além de bonitas, algumas podem ser usadas na alimentação dando um toque de alegria e saúde as nossas refeições. Um bom exemplo desse tipo de flor é a Capuchinha, colorida, bela e versátil, ela é uma das estrelas nas preparações de chef de cozinhas em grandes restaurantes.
É importante saber reconhecer a Capuchinha, visto que ela não é apenas uma planta comum, e sim uma planta com poderosas propriedades medicinais altamente benéficas para o organismo que a consumir.
Com o nome científico Tropaeolum majus L., a Capuchinha é uma planta da família das Tropeoláceas.  É popularmente conhecida também como mastruço, chagas, agrião grande do Peru, capuchinho, cinco chagas, capuchinha grande, entre muitos outros nomes.
Planta herbácea rasteira, de caule suculento, mole e retorcido, possui folhas num tom verde claro, com formato arredondado, enquanto suas flores podem ter diversas tonalidades, variando do branco ao vermelho, salmão, amarelo e laranja. 
É comestível, com sabor fresco e picante, semelhante ao do agrião, podendo as folhas e flores serem consumidas em forma de saladas e outras preparações.
Modo de conservar 
De preferência, utilizar frescas as folhas, botões florais e flores. Pode-se também secá-las à sombra, em local ventilado e sem umidade. Guardar em sacos de papel ou de pano.
Propriedades e benefícios
Expectorante, antibiótica, purgativa, digestiva, antisséptica, desinfetante, diurética, depurativa, sedativa e estimulante.
Seus princípios ativos são: glucotropaeolina, vitamina C, ácidos graxos, flavonóides, glicosídeos, oxalatos, glucosinolatos, óleos essenciais, resinas, pigmentos, substâncias bactericidas, iodo, ferro, enxofre, cálcio, potássio, frutose e glicose.
Indicações
A Capuchinha é muito indicada para casos de infecções urinárias e retenção de líquidos por sua função diurética. 
Auxilia a cicatrização de feridas. 
Proporciona alívio de alergias na pele e acnes  por suas propriedades anticépticas.
Cura de tosses e resfriados, graças à sua propriedade expectorante.
Alivio de diversos problemas do sistema digestivo.
Caso seja aplicada diretamente nos cabelos, auxilia na eliminação da caspa e fortalecimento dos fios capilares.
Como utilizar?
Podem-se incluir as flores e folhas da Capucinha nas receitas de saladas, sumos e temperos. Caso prefira tomar o chá da planta, leve ao fogo entre duas e quatro colheres de sopa de folhas de Capuchinha picadas, juntamente com um litro de água e deixe ferver. Abafe e consuma 3 vezes ao dia, quando a temperatura estiver ideal para beber. 
Para utilizá-la nos cabelos pode-se seguir a mesma receita do chá, e lavar os cabelos com o líquido.
Se consumida à noite, a Capuchinha atua contra a insónia. Seus frutos podem ser conservados em vinagre e preparados como alcaparra,  com água e sal.
Comer suas folhas e flores cruas em saladas, ajuda a combater o início da gripe, abre o apetite e favorece a digestão.
Contraindicações e efeitos colaterais
A Capuchinha pode ter como efeito colateral irritação gástrica e, se consumida em altas doses baixar a tensão sanguínea.
Seu consumo é contra indicado em casos de gastrite, hipotireoidismo, insuficiência renal ou cardíaca, gestação e lactação.
Fonte: Remédios Caseiros
Obs.: Recomendações gerais, para um melhor diagnóstico e tratamento procure um profissional de saúde e nutrição.
Continuação de uma ótima semana
Muito amor e muita luz
Beijinhos

Comentários